06 novembro 2008

Quando a lógica engana

Reza a lenda que antigamente um jogador amador chamado Netinho tinha uma especialidade vista em poucos jogadores profissionais nos dias de hoje: cobranças perfeitas de faltas. Toda a falta que houvesse, Netinho fazia gol. Ninguém testemunhou uma só vez em que nas cobranças perigosas de falta Netinho errasse o chute. Falta perto da área, bola no centro. Era gol certo. Batata.

Um dia, numa final de campeonato amador, a partida estava empatada em zero a zero e houve uma falta perto da meia-lua a favor do time de Netinho. O jogo já estava nos descontos e aquela cobrança poderia decidir o campeonato. Os adversários enlouqueceram com o árbitro, o que de nada adiantou. A infração estava marcada e pronto.

Após alguns minutos de reclamações, finalmente a cobrança foi autorizada. No estádio, que estava lotado, poderia ser ouvida uma tosse, tamanho silêncio e apreensão do público presente. Netinho partiu para a cobrança e... Chutou por cima do travessão! Todos ficaram incrédulos, inclusive os adversários, os quais ao mesmo tempo comemoravam o fato de que o temido Netinho tivesse errado uma cobrança de falta pela primeira vez em sua vida.

Mas o inusitado aconteceu. O árbitro apontou para o centro de campo, confirmando um gol que todos viram que não ocorreu. Interrogado ferozmente por toda a equipe prejudicada, disse: “Marquei o gol por que Netinho jamais erraria uma cobrança de falta como essa”.

O árbitro deveria ter se convencido de que às vezes a lógica pode não acontecer, principalmente se o assunto for futebol. Assim como o chute de Netinho que não entrou, a campanha do Grêmio no Brasileirão fugia (e ainda foge) do normal. Dei razão a Celso Roth quando ele disse que “para um time que deveria brigar para não cair na opinião de muitos, até que está muito bom”. Porém, para quem atingiu o topo da tabela na grande maioria das rodadas e despontou como possível campeão, uma declaração como essa não justifica em hipótese alguma a queda de rendimento na hora em que isso menos poderia ocorrer.

A posição do Grêmio ainda é boa, mas perigosa até mesmo em termos de vaga para a Libertadores, algo que estava tranqüilo até pouco tempo atrás. Enquanto isso, o São Paulo, que cresceu no momento certo, dificilmente deixará escapar o título do Brasileirão. Seria uma espécie de “manifestação da lógica”. Como a certeza de gols quando Netinho cobrava faltas.

Um comentário:

Alma Tricolor disse...

perfeito texto márcio.....