19 junho 2008

Namoro de adolescente

Quando adolescentes, é lógico que tivemos nossas namoradinhas. Cada festa na casa de alguém era um novo namoro garantido. Em média, os relacionamentos (inocentes, deixemos bem claro) duravam quinze, vinte dias. Em cada nova paquera havia as mesmas perguntas de amor, aquelas do tipo “você promete que nunca vai me deixar?”, compreendem?

O mais divertido naquela fase da vida era o “pós-festa”. Encontros antes de a menina ir para a escola, rápidos namoricos na hora do recreio e o cavalheirismo em acompanhá-la até em casa no final do dia. “Posso te ver amanhã?”. Romântico, não?

Em resumo, só faltava mesmo o guri ir até a casa dela e pedi-la em casamento. Tudo muito profundo, com um futuro inocentemente já sendo planejado por ambas as partes. O tradicional “Final Feliz” já não pertencia apenas aos outros. Enfim, estava sendo provado que realmente o sol nascera para todos. Até que viesse o próximo namoro inocente, claro...

Lembro de dezembro de 1995, quando Jardel saiu do Grêmio para o futebol português. Houve até um início de campanha “Fica, Jardel”, onde o torcedor poderia depositar qualquer valor ao clube, para que esse conseguisse manter o ídolo. Mas para a tristeza geral dos tricolores, nada adiantou.

Agora foi a vez de Fernandão, talvez o maior ídolo da história do Inter, dizer adeus. O capitão está indo para a Ásia, objetivando engordar sua conta bancária e talvez, somente talvez, voltar para encerrar a carreira.

Como naqueles bons tempos de paqueras de adolescentes, também de forma inocente, esperamos ter nossos ídolos para sempre nos respectivos times do coração. Mas temos que entender que a realidade infelizmente não permite que isso ocorra. E nos resta, além de ter aproveitado os ótimos momentos, ficar com as boas lembranças.

4 comentários:

Beckistuta disse...

Deixa eu entender, tu queria namorar o Fernandão? haha :D

Abraço!

Alê disse...

Ahahahahah...
Boa, Beck... boa...
Mas isso que o Bariviera postou é a verdade... quem é colorado deve entender melhor que a gente...
Abraços !

Alê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janja Fontes disse...

Eu nao pegava ninguem na adolescencia! Me senti atingido por seu post! Vou te processar! hehehe